Penelope Ward - The Anti-Boyfrien

em domingo, 29 de novembro de 2020


No início, meu vizinho Deacon me frustrou. Claro, ele era bonito e amigável. Mas nossas paredes eram finas e, de vez em quando, ele trazia mulheres para sua casa e me mantinha acordada enquanto as “entretinha”. Como mãe solteira de um bebê, não gostei disso. Então, finalmente foi minha vez. Quando minha filha não parava de chorar uma noite, o Sr. Mulherengo bateu à minha porta. Milagrosamente, ao som de sua voz, Sunny parou de chorar. E quando ele a segurou... ela finalmente adormeceu em seus braços. Deacon era rude por fora, mas aparentemente por dentro? O Sr. Solteiro-e-Pronto- para-Transar era um encantador de bebês. Depois daquela noite, tornamo-nos amigos. Ele vinha para o café. Vinha conversar. Coisas normais de amigos. Mas, com o tempo, nossas conversas se aprofundaram. Nós nos aproximamos. Até que uma noite cruzamos a linha. Nossa amizade se tornou uma bagunça complicada. Eu me apaixonei por um cara que renunciou ao compromisso e a filhos. Eu sabia que Deacon estava começando a se importar comigo também, embora Sunny e eu não nos encaixássemos em nenhum plano que ele já havia imaginado para si mesmo. Ele era errado para mim – tão errado que eu o apelidei de “antinamorado”. Então, por que eu desejei mais do que qualquer coisa ser a única mulher a mantê-lo?

Nenhum comentário:

Postar um comentário