Zina Wes - Série Makaen Warrior

em sábado, 11 de julho de 2020




Para garantir que a futura embaixadora humana em Makaen esteja segura, ela precisa se relacionar com um homem Makaen. Sarah, uma mulher de espírito livre é tudo menos diplomática. Mas, para encerrar a guerra entre humanos e uma raça alienígena chamada Makaen, ela é convencida a aceitar a posição de embaixadora, o que exige a ligação com um guerreiro Makaen e a convivência com ele em seu planeta. Sarah está longe de estar entusiasmada em se casar com um bruto dominante, louco por sexo. Além disso, uma mulher ligada deve ser recatada e obediente. Palavras que definitivamente não estão no tradutor dela. Kealen Bakan, comandante do navio de guerra mais poderoso dos militares dos Makaen, concorda em se unir a um de seus ex-inimigos por um senso de dever. Seu ódio por sua espécie queima profundamente, mas depois de tocá-la, ele sabe uma coisa com certeza: a fêmea humana pertence a ele, e ele nunca vai deixá-la ir. Ele logo experimenta que lutar em uma guerra pode ser menos perigoso do que lidar com essa mulher teimosa. Seu primeiro contato é eletrizante - literalmente, e levanta a questão de saber se eles foram reunidos pela intervenção divina.


Quando você precisa desesperadamente escapar de uma estação espacial mais do que perigosa em que está presa e a opção menos insana é esgueirar-se a bordo de uma nave Makaen, você sabe que está ferrada. Pior momento!
O simples pensamento de estar no mesmo espaço que os Makaen, faz o estômago de Kat se agitar pois esta raça de guerreiros alienígenas odeia intensamente os humanos. Sim, Kat também é meio Cassidi, mas seus genes humanos são definitivamente mais dominantes, especialmente do lado de fora. Mas, para ajudar uma amiga necessitada, ela não tem outra escolha. Então, esgueirar-se a bordo de um cargueiro Makaen é a única opção.
Não é surpresa que o plano dê errado e elas sejam pegas. Duh, foi ideia do irmão, afinal. O que a deixa perplexa é que foi necessário apenas um toque eletrizante do capitão da nave - um estranho pertencente a uma espécie da qual ela foi ensinada a ficar o mais longe possível - para fazê-la derreter em uma poça.
Recusando-se a se relacionar com uma humana, Dykan deixa Makaen-Prime e sua família para trás para tentar a sorte como capitão de um cargueiro que transporta principalmente mercadorias ilegais. Quando ele encontra clandestinos a bordo de sua nave, seu primeiro pensamento é jogá-los todos para fora da câmara de ar mais próxima. Mas uma olhada nos lindos olhos implorantes da fêmea é suficiente para mudar de idéia completamente. Mesmo que ele não entenda por que ele é tão fascinado por essa fêmea humana - ele tem motivos mais do que suficientes para odiar sua espécie -, nenhum pirata espacial que se preze recusaria o que ela oferece. Tarde demais, ele percebe que ela é mais do que ele esperava.



O sonho de Eden de se juntar a uma expedição arqueológica fora do planeta se transforma em um pesadelo quando a embarcação é invadida por Makaens - a raça alienígena com a qual os humanos estão em guerra há mais de uma década. Ela é caçada e feita prisioneira por um Makaen seriamente irritado e de aparência feroz. Para piorar a situação, ele até se atreve a acusá-la de pertencer a uma quadrilha de contrabando. Ok, ela estava segurando uma relíquia roubada quando eles se conheceram, mas isso não passou de um grande mal-entendido. É evidente que o alienígena não pensa muito em sua espécie. Em absoluto. No entanto, há algum tipo de conexão estranha entre eles, mesmo que sua mente hiper-racional não possa explicar, mas está deixando-a louca. O alienígena estóico tem a capacidade de desligar seu cérebro com apenas um olhar ardente. E mesmo que ele esteja fazendo o máximo para combatê-lo, seus olhos e ações dizem a ela que também o está afetando. Damaen Bakan, governador de uma das colônias de Makaen, perdeu a coisa mais importante em sua vida por um ato covarde cometido por humanos. Por não ter empatia e compaixão, ele não tem escrúpulos para pagar todos os humanos que encontra. Até Éden cruzar seu caminho. A fêmea é diferente de qualquer outro humano que ele capturou e interrogou. Damaen está tentando resistir à força dela, mas é tão incrivelmente forte que ele teme que não consiga resistir a ela por muito tempo. E isso é ruim. Muito mal. Afinal, além de ser humana, ela também é uma criminosa do pior tipo. Duas boas razões para evitá-la. A última coisa que ele quer é que a fêmea reviva algo dentro dele que ele supôs que estava morto e enterrado há muito tempo. E depois há a pequena questão de ela ser possivelmente um presente para ele de sua divindade. Sim, os deuses certamente devem odiá-lo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário