Georgia Le Carre - Beauty and the Dark

em terça-feira, 5 de maio de 2020




Sofia As pessoas dizem que há coisas piores que a morte e estão certas. A morte teria me salvado e isso me quebrou. Então, fechei meu coração e jurei que nunca mais teria outro homem. Veja, pensei que soubesse tudo que havia para saber sobre os homens: enganadores, cruéis e sem coração. Pensei que odiasse todos. Ingenuamente, acreditei que poderia viver escondida no castelo do meu cunhado para sempre. Mas o destino me colocou sob o visco com um homem chamado Jack Irish. Como posso descrevê-lo? Alto, moreno e bonito, sequer se aproxima. Com uma sensualidade hipnotizante, cabelos negros, olhos azuis frios e tatuagens que contornam suas mangas dobradas, ele parou diante de mim. Quando seus lábios roçaram os meus, o chão tremeu e tudo que acreditava a meu respeito explodiu em mil pedaços. Mas, não sou a mulher que ele pensa que sou, ele me quer em sua cama, mas não sabe que estou danificada e suja além da reparação, porque se soubesse correria quilômetros de distância. Jack Eu sei tudo sobre dor. Como o atinge, arranca seu coração e o esmaga enquanto você observa. Jurei que tudo permaneceria no passado. Ficaria bêbado e teria uma noite de sexo casual. Então o destino colocou Sophie Seagull em meu caminho. Ela está machucada e frágil, mas é linda! Não como um frio e duro diamante cintilando luz, mas de um modo secreto e misterioso como uma pérola brilhando ao luar. Olho em seus olhos enormes e assustadoramente amorosos, como de um filhotinho e o mundo não parece mais ser tão sombrio. Ela luta contra mim. Mas esta é minha promessa. Repará-la, protegê-la, defendê-la, fazê-la minha para sempre...

Nenhum comentário:

Postar um comentário